Meu Cadastro      Certificado Eventos

Newsletter



Cadastrar Remover

Artigos

As habilidades de inteligência emocional que os empregadores agora querem

 

Heart and brain on scales. Balance, love, mind, intelligence, logic concept. Flat style. EPS 8 vector illustration, no transparency
Share Button
 
 
 
Por Daniela do Lago*

A inteligência emocional continua tão importante no mercado de trabalho hoje como na época de sua descoberta cientifica por Daniel Goleman, em 1995. É bem verdade que tanto a habilidade técnica quanto a comportamental são importantes para o sucesso na carreira de qualquer profissional, mas, sem dúvida, o fator que impulsiona na carreira ou que faz tropeçar é a sua habilidade comportamental.

Há pouco tempo, ser um especialista em qualquer habilidade técnica garantia um trabalho e, até mesmo, segurava um profissional na empresa. Hoje tudo mudou.

O mercado de trabalho global vem exigindo mais dos candidatos a vagas de empregos. E os melhores empregadores do mundo não são apenas os mais exigentes – estão em busca dos melhores graduados que também sejam fortes em inteligência emocional.

Claro que o alto desempenho na vida acadêmica ainda importa. Mas, no mercado atual, os melhores empregadores estão em busca de algo mais: querem graduados com habilidades interpessoais. Para ter uma ideia, universidade de Administração de Yale, nos Estados Unidos, acrescentou um teste de inteligência emocional em seu processo de admissão.

E como anda a sua inteligência emocional?

Como acontece com o QI, existem diversos modelos teóricos de inteligência emocional e o que vou apresentar a seguir, trata-se do modelo desenvolvido por Daniel Goleman, que irá ajudá-lo a refletir sobre seu próprio conjunto de forças e limites em inteligência emocional. Não se trata de um “teste” de Inteligência Emocional, mas de uma “amostra” para fazê-lo pensar sobre suas próprias competências:

1 – Você costuma estar consciente de seus sentimentos e por que se sente assim?

2 – Está consciente de suas limitações, bem como de suas forças pessoais, como um líder?

3 – Consegue lidar bem com suas emoções negativas – por exemplo, recupera-se rapidamente quando fica contrariado ou tenso?

4 – Consegue se adaptar facilmente a realidades em mudança?

5 – Mantém o foco em seus objetivos principais e conhece os passos necessários para chegar lá?

6 – Normalmente consegue perceber os sentimentos das pessoas com quem interage e entender suas formas de ver as coisas?

7 – Você possui um dom para a persuasão e para usar sua influência com eficácia?

8- Consegue conduzir uma negociação a um acordo satisfatório e ajudar a dirimir conflitos?

9 – Você trabalha bem em equipe ou prefere trabalhar sozinho?

O ideal é que as respostas sejam “sim” para todas as questões do teste. A inteligência emocional não pode ser comprada, terceirizada ou até mesmo ensinada, não é de fora para dentro e sim de dentro para fora. Não está atrelada à idade cronológica tampouco à experiência profissional.

A boa notícia é que as competências de inteligência emocional podem ser aprendidas e aperfeiçoadas, tudo depende de sua escolha e disposição em desenvolvê-las.

Para garantir sua empregabilidade no mercado de trabalho é só ter foco para desenvolver cada vez mais sua habilidade comportamental. Comece hoje seu processo de desenvolvimento!

 

Daniela_lago_br
*Daniela do Lago é coach de carreira e professora dos cursos de MBA da FGV nas disciplinas de Gestão de Pessoas, Comportamento Organizacional, Comunicação e Relacionamento Interpessoal
Fonte da Notícia: Daniela do Lago       Publicado: 13/05/2016
Voltar

Newsletter:

Cadastrar Remover
Participe do linkedin:

Rua das Palmeiras, número 685 - Edifício Contemporâneo
Empresarial, sala 1.504 - Santa Lúcia - 29.056-210
Vitória, ES - Brasil
Mapa de Localização

(27) 98836-0250 / 3324-8326 / 3225-0886

eventos@abrhes.org.br